Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 11/12/2017
07 de Dezembro de 2017 - 10:18
ATITUDE
Câmara aprova moção de repúdio contra Energisa

De autoria do vereador Remidio Kuntz (PR), a Câmara de Vereadores de Sinop aprovou durante a 41ª sessão ordinária realizada na segunda-feira (04), moção de repúdio em desfavor da concessionária de energia elétrica em MT Energisa, pelo péssimo atendimento destinado aos usuários da cidade e do interior. A moção foi aprovada por ampla maioria, 14 votos favoráveis e apenas 01 contrário do vereador Ícaro Severo (PSDB). Ao justificar o pedido de inclusão extra pauta no rol das matérias a serem votadas, Remídio Kuntz afirmou que vários consumidores de energia elétrica apresentaram inúmeras reclamações. “São produtores rurais e sitiantes que tiveram queda de energia em suas propriedades e a Energisa demora vários dias para reestabelecer o fornecimento de energia, trazendo prejuízos de grande monta para eles. Alguns fizeram mais de 5 protocolos e não foram atendidos. Isto é um grande desrespeito”, alertou.


Na hora da votação da moção, o vereador Ícaro Severo, explicou que votou contra por decidir que não apoiaria nenhuma moção de repúdio. Ato seguinte, o vereador Luciano Chitolina (PSDB) afirmou na tribuna que assinou o pedido de moção de repúdio e assinaria tantas vezes fossem necessárias para cobrar a melhoria dos serviços e atendimento da concessionária. “Não podemos aceitar que os consumidores fiquem sem fornecimento de energia por vários dias. Tenho conhecimento de vários descasos praticados pela Energisa e cabe a nós representantes do povo cobrar a devida solução”, assinalou, exemplificando que numa determinada propriedade, a falta de energia elétrica se estendeu por 13 dias, ocasionado a perda total do leite produzido naquele período. A energia só foi reestabelecida porque o proprietário contratou serviço particular para fazer o reparo na rede.


A vereadora Branca, líder da prefeita, também externou apoio público à moção de repúdio. “Respeito a posição do vereador Ícaro, porém, voto a favor da moção como forma de cobrar imediatamente a melhoria nos serviços prestados pela Energisa”, ressaltou. Ao defender a provação da moção de repúdio o vereador Lindomar Guida (PMDB) relatou que os casos de morosidade excessiva na prestação de serviços ocorre no interior e na cidade. “Não são apenas os consumidores do interior que são afetados pela morosidade e péssimos serviços da Energisa. Os usuários da cidade também enfrentam dificuldades. Tenho uma chocadeira de pintinhos, são 1500 a cada 21 dias e certa vez ocorreu um problema na rede e perdi toda a produção. Quando fui reclamar, falaram que a culpa era minha, que deveria ter um grupo gerador, para enfrentar eventuais falhas de fornecimento”, denunciou.


Outros vereadores também se manifestaram em apoio à moção de repúdio citando várias situações em que os proprietários rurais tiveram prejuízos de grande monta e que ao se comunicarem com a Energisa via telefone, são atendidos por funcionários de outros estados do Brasil, despreparados e sem conhecimento da realidade local. Durante entrevista ao Celeiro, Remídio afirmou que é dever do vereador, além de conceder moções de aplausos para empresas, instituições e pessoas que prestam bons serviços e que elevam positivamente o nome da cidade, também aprovar moções de repúdio quando a situação é inversa. “Precisamos sim aprovar moções de aplausos mas também de repúdio. Nosso dever é defender em primeiro lugar os interesses da população e por este motivo não devemos nos omitir numa situação que afeta o bem estar e o bolso das pessoas”, pontuou.


Remídio ainda explicou que em casos de interrupção por falha no sistema, a concessionária dispõe de no máximo 7 horas para reestabelecer o fornecimento. Caso este prazo não seja respeitado, o consumidor deverá, munido de prova, procurar o ressarcimento de eventuais danos e prejuízos. Nossa reportagem tentou contato com os representantes da Energisa, porém não obteve nenhum retorno além do atendimento automático de gravação telefônica.


 

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player