Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 25/09/2018
09 de Março de 2018 - 10:37
ALERTA
Dados apontam aumento no número de infestação do mosquito da dengue em Sorriso

A equipe do departamento de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento de Sorriso divulgou hoje (09) o primeiro levantamento bimestral de 2018, atividade que tem por objetivo medir o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti em sua fase larvária. Foram vistoriadas 44.453 residências, e, de acordo com o levantamento deste primeiro ciclo em comparação ao mesmo período do ano passado, o número de subiu de 3,94 para 4,30 em 2018. Os dados apontam ainda que a maioria dos focos foram encontrados em pequenos recipientes dentro dos quintais, os chamados de recipientes móveis.


“Devido ao período chuvoso, já esperávamos um aumento no índice de infestação do Aedes aegypti, por isso preparamos ações estratégicas no combate ao mosquito e de fortalecimento da equipe da Vigilância Ambiental”, destacou a coordenadora de Vigilância em Saúde, Tayná Vacaro, explicando que foi promovida uma alteração no modo de atuação das equipes. “Mapeamos toda a cidade e optamos por dividir em bairros, onde cada agente ambiental ficará responsável por acompanhar e orientar os moradores de mil imóveis, pois, desta maneira, acreditamos será criado um vínculo maior com os moradores, podendo assim identificar os problemas específicos de cada localidade e combater de forma mais eficiente os criadouros do mosquito, além de gerar interação com os profissionais das Unidades de Saúde da Família”.


A nova forma de ação faz parte de uma instrução normativa preconizada pelo Ministério da Saúde como forma de otimizar a organização dos trabalhos em campo e ter um resultado mais satisfatório das ações. “É importante que a população faça sua parte, não deixando recipientes em condições de acumular água parada, pois 88% dos criadouros estão nos domicílios de nossa cidade”, ressaltou a coordenadora. As denúncias de possíveis focos podem ser feitas pelos telefones 0800 647 4707 ou no 3544 8115.

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player