Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 24/04/2018
12 de Abril de 2018 - 15:49
DEBATE
Prefeitura de Sorriso e Sindicato discutem reajuste salarial dos servidores públicos

A Prefeitura deu início às negociações sobre o índice de reajuste salarial para os servidores públicos municipais ativos e inativos de Sorriso. Nesta manhã (12), o vice-prefeito Gerson Bicego e os secretários municipais Estevam Calvo, Sérgio Kocová e Luis Fábio Marchioro, reuniram-se com a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorriso – Sinsems, Edianinha Gheller Turra, para apresentar a proposta de revisão e reajuste para este ano.


Participaram da reunião os vereadores Silvana Faccio, Bruno Delgado, Claudio Oliveira, Marlon Zanella, Toco Baggio, Leandro Damiani, Dirceu Zanatta, Nereu Bresolin e Maurício Gomes, além do representante da Previso, Alcemar Rosa dos Santos. “Em março recebemos a proposta de reposição solicitada pelo Sindicato e hoje viemos demonstrar a realidade das contas do município. Levamos em consideração esse período de instabilidade financeira por que passa todo o país. O índice proposto neste momento será com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor INPC, acumulado dos últimos doze meses, ressaltando que o mesmo vai ao encontro à responsabilidade fiscal e tem como base fundamental a preservação do equilíbrio das contas públicas”, explica o secretário de Administração, Estevam Calvo.  


De acordo com o secretário, a receita corrente liquida de Sorriso, assim como dos demais municípios vizinhos, encontra-se muito instável, ante a realidade econômica e financeira dos governos Estadual e Federal, dificultando a execução de um planejamento financeiro. “Grande parte dos municípios está promovendo medidas de contenção de despesas, ofertando recomposição salarial concedidos restringindo ao índice do INPC acumulado dos últimos doze meses. A própria Associação Mato-grossense dos Municípios AMM, vem orientando os municípios para que promovam ajustes e contenção em suas despesas, haja vista as projeções não serem otimistas. Não podemos fazer reajustes que fujam da realidade econômica atual”, pontua Estevam.


A proposta da Administração Municipal, de um reajuste de 2,07%, foi elaborada com base em um cálculo de gastos com despesas de pessoal realista, para que se promova ajustes mantendo os gastos com pessoal abaixo do limite prudencial, evitando novas notificações do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso. Segundo dados apresentados pelo Sindicato, de 2005 a 2008 os servidores tiveram um percentual de aumento e reposição salarial de 39,18%; de 2009 a 2012 o percentual foi 56,28%; entre os anos de 2013 a 2016 esse índice foi de 49,69% para os professores e 43,16% para os demais servidores. Em 2017 a Prefeitura de Sorriso concedeu 12% para os professores e 10% para dos demais servidores.


“Com base nesses números apresentados pelo Sindicato, a Previso nos apresentou a preocupação em relação aos reajustes concedidos acima da inflação, os quais vêm impactando no déficit do Fundo de Previdência. Não podemos pensar apenas no hoje e sim planejar com cuidado e cautela para que esse impacto não seja sentido pelos próprios servidores no futuro”, ressaltou o Estevam. O secretário de Fazenda, Sérgio Kocová, pontuou que hoje a Prefeitura de Sorriso já consome 50% do orçamento da folha de pagamento com gastos de despesa com pessoal. “Precisamos tratar desse assunto com muita responsabilidade, pois o percentual de reajuste precisa caber no orçamento do município sem engessar os investimentos. Temos muita demanda na saúde, na educação, no trânsito, e não podemos inviabilizar a Prefeitura com um aumento para os servidores que nos tire as condições de atender ao cidadão que precisa de infraestrutura, como asfalto, boas escolas e PSFs”.

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player