Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 21/07/2018
20 de Junho de 2018 - 08:35
EFEITO COLATERAL
Tabelamento do frete trava setor produtivo

O início da colheita de milho em Mato Grosso está impactada pelo tabelamento do frete, determinado pelo governo federal em atendimento às reinvindicações dos caminhoneiros, após a deflagração da paralisação nacional, ocorrida entre os dias 21 e 31 de maio. O presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson Redivo, informou ao Celeiro que o tabelamento de preço determinado pelo governo federal paralisou o transporte de grãos e está afetando toda a economia. “Impor tabelamento de frete foi a maior burrice nas negociações para encerrar a greve dos caminhoneiros. Quem dita o preço é a oferta e a demanda, respeitando as particularidades de cada região num país continental como o Brasil. O governo, com esse tabelamento, deu um tiro no próprio pé e desarticulou toda a economia. Não será apenas o setor produtivo prejudicado. A elevação do frete terá um efeito cascata em todas as mercadorias, impulsionando a inflação e prejudicando a população em geral”, advertiu.


Segundo Redivo, a expectativa dos produtores concentra-se na reunião em Brasília, marcada para esta quarta- feira (20) com representantes dos caminhoneiros, governo e setor produtivo. “Esperamos que o bom senso prevaleça e que esse tabelamento seja cancelado. As contas não estão fechando e as empresas transportadoras estão paradas para não incorrerem na ilegalidade e serem multadas”, justificou.


Decisão do STF


O presidente Michel Temer considera que o parecer contrário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ao tabelamento do frete rodoviário não atrapalha a resolução definitiva da crise dos caminhoneiros e que o governo irá aguardar a decisão a ser tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A manifestação do presidente ocorreu na segunda feira (18) após participar de almoço com líderes do Mercosul em Assunção no Paraguai. Reportagem divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo aponta que o Cade faz duras críticas no documento à criação da tabela de preços mínimos pela Medida Provisória 832, feita pelo governo federal para atender à reivindicação dos caminhoneiros que paralisaram o transporte rodoviário brasileiro no fim de maio.


O conselho afirma que a tabela de frete cria uma espécie de cartel, tem graves efeitos ao consumidor, prejudica o mercado e representa uma afronta à livre concorrência. A manifestação do Cade foi feita a pedido do ministro do STF, Luiz Fux, relator de ações que questionam a constitucionalidade da medida. Na sexta-feira, o Ministério da Fazenda também enviou um posicionamento contrário ao tabelamento de preços, enquanto a Advocacia Geral da União defendeu a medida.


Colheita


Conforme informou ao Celeiro, a colheita de milho em Sinop está na fase inicial com aproximadamente 5% da área plantada e uma produtividade acima de 100 sacas por hectare. Redivo explicou este rendimento não é base da produtividade média da colheita. “São as primeiras lavouras plantadas na primeira quinzena de janeiro e que receberam bom volume de chuvas e não servem de parâmetro. Os próximos talhões semeados no mês de fevereiro terão menor produtividade”, justificou.

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player