Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 22/10/2019
17 de Setembro de 2019 - 14:19
SAÚDE
Índice de infestação do Aedes aegypti continua baixo em Sinop

A Secretaria Municipal de Saúde de Sinop, por meio do Centro de Endemias, realizou, entre os dias 02 a 10 de setembro, o terceiro Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) em diversos pontos da cidade. Ao todo, foram inspecionados 2.089 imóveis e capturadas 10 amostras positivas do mosquito, obtendo assim um índice de infestação de 0,5 décimo de percentual, valor abaixo do preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1%, ou seja, um resultado muito positivo para o município. No primeiro levantamento realizado em fevereiro, o índice estava em 4,2% e, diante disso, o Setor realizou um grande mutirão de limpeza no recolhimento de potenciais criadouros.Foram 120 caçambas de materiais inservíveis. Para a ação foram contratados mais 30 servidores.


Outra atividade desenvolvida foi a ação conjunta na área central da cidade em parceria com CDL, Tiro de Guerra, ACES e Bombeiros Militar, além dos trabalhos contínuos em pontos estratégicos, bloqueios químicos mediante notificações, atendimentos de denúncias, inspeção em bocas de lobos e também ações educativas em todas as escolas municipais, estaduais, particulares e empresas. Diante disso, os resultados caíram para 0,5% já no mês de junho, quando foi realizado o segundo levantamento rápido.


De acordo com o coordenador de Vigilância Ambiental, Cesário Rocha, todas essas medidas contribuíram para a redução do mosquito, porém, é necessário que a população fique sempre alerta quanto ao risco das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. “A comunidade deve ficar atenta porque, em Sinop, 90% dos pontos com foco de criadouros do mosquito da dengue situam-se em quintais de residências”, alerta o coordenador. A maioria das larvas é encontrada em objetos simples e que, quando despercebidos, tornam-se propícios à vida do inseto: copos de plásticos, restos de plásticos, lixos que, diariamente, seriam descartados.

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player