Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 07/12/2019
29 de Novembro de 2019 - 15:20
SINOP LIVRE
Desembargadora parabeniza atuação conjunta no combate à violência contra a mulher

A desembargadora Maria Erotides Kneip, responsável pela Coordenadoria Estadual da Mulher em situação de Violência Doméstica e Familiar, no âmbito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (Cemulher), enalteceu a Prefeitura de Sinop pela ação e disposição de fazer o enfrentamento da violência contra a mulher. “A prefeita Rosana Martinelli está de parabéns, justamente porque a atuação em conjunto e de forma articulada de poderes, instituições e comunidade vai garantir a aplicação humanizada da legislação e ao mesmo tempo combater a violência contra a mulher”, frisou a magistrada.


Maria Erotides assegura que o engajamento da prefeita e dos parceiros, como a Subseção de Sinop da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público, Defensoria Pública e movimentos sociais, fará a diferença e passa a marcar a posição do município contra qualquer ato de violência contra a mulher. Na visão dela, o trabalho da juíza Débora Paim Caldas, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Sinop, tem sido fundamental e coroa a instalação da Rede de Proteção e Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Familiar no município. “A doutora Débora faz com amor e sempre demonstra zelo pela luta, pela causa, pelos Direitos Humanos. Isso é magnífico”, sublinhou a desembargadora.


A coordenadora do Cemulher do TJMT destacou ainda a importância da campanha “Sinop Livre de Violência Contra Mulher”, que marca a instalação da Rede, ter sido realizada exatamente em 25 de novembro. Além desse dia ter iniciado a  Semana da Justiça pela Paz em Casa em todas as Comarcas de Mato Grosso, essa data foi instituída, em 1999, pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher. Essa convocação da ONU, segundo a desembargadora, reforça o movimento de combate contra a violência de gênero ao lembrar o assassinato das irmãs Mirabal (Patria Mercedes, Minerva Argentina e Antonia Maria Teresa), ativistas políticas, em 1960, por ordem do então ditador dominicano Rafael Leónidas Trujillo. “Não pude prestigiar e participar da instalação da Rede em Sinop, por conta de outros compromissos, mas, certamente, no próximo ano farei questão de me fazer presente em ações desenvolvidas pelo município em atividades de proteção e atendimento as mulheres que se encontrem em situação de vulnerabilidade”, sublinhou Maria Erotides.

Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player