Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 10/07/2020
29 de Junho de 2020 - 09:51
ECONOMIA
Sinop tem deflação pelo segundo mês consecutivo

A pesquisa dos indicadores econômicos de Sinop realizada pelo CISE - CENTRO DE INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS da UNEMAT, com o apoio da CDL, apontou que em maio a taxa de inflação medida pelo IPC Sinop foi de -0,22%. Com esse resultado, a inflação acumulada em Sinop nos últimos 12 meses alcançou 2,29%. Já no ano de 2020 a inflação acumulada em Sinop está em 0,46%. Comparativamente à economia brasileira, A TAXA DE DEFLAÇÃO EM SINOP NO MÊS DE MAIO FOI MENOS INTENSA QUE A DEFLAÇÃO DETECTADA PELO IPCA, divulgado pelo IBGE para o mesmo mês, que foi de -0,38% para o período. O IPCA nacional acumulado em 2020 é de -0,16%. Já nos últimos 12 meses o IPCA ficou em 1,88%, muito próximo ao resultado da inflação de Sinop para o mesmo período. O resultado nacional aponta uma inflação abaixo da meta definida pelo Banco Central. A inflação se contrai rapidamente e aguarda os desdobramentos da pandemia do coronavírus.


Este mês, as diferenças mais significativas sobre o índice de preços em Sinop foram decorrentes dos seguintes grupos de consumo: Alimentação, com aumento de 0,29%, Residência, com aumento de 0,16% e Educação que teve aumento de 0,04%. O grupo de consumo Transporte apresentou uma redução de -0,76% e o grupo Vestuário apresentou uma contração de -0,33%. Já os demais grupos apresentaram variações relativamente pequenas em relação ao mês anterior.


Cesta básica


O custo da Cesta Básica em Sinop apresentou uma pequena variação. A cesta básica passou a custar R$ 503,27 no mercado local, o que representa um aumento de 1,02% em relação ao mês anterior. Este mês, foram destaques os aumentos nos preços médios da farinha (8,41%), do feijão (18,4%) e da batata (24,82%). Em contrapartida, ocorreram quedas nos preços médios do tomate (-28,46%) e do óleo (-7,71%). Segundo dados do DIEESE, o custo da cesta básica apresentou as seguintes variações na maioria das regiões pesquisadas. Nas seguintes regiões metropolitanas, ocorreram as seguintes variações nos valores das cestas básicas: Goiânia (2,59%), Curitiba (3,92%) e São Paulo (0,02%). Em Campo Grande a cesta básica da cidade apresentou um recuo de -8,14% e Brasília apresentou um recuo de -6,38.


Daniela Melhorança I Assessoria


Mais notícias

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player