Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 27/09/2020
2013-07-12 de 09 de
Desordem onde não há progresso



Aos poucos passamos á entender o porquê dos protestos e das manifestações que tomaram conta do país nos últimos dias. No nosso dia a dia, vivenciamos situações que não justificam nossas ações, mas descrevem a nossa revolta com um sistema que precisa mudar.


A maioria dos manifestantes são pacíficos, e condenam os excessos.  

Mas sem dúvida, todos nós expressamos, de uma forma ou de outra, uma dose desta intolerância. Isso não justifica qualquer excesso, mas muitas pessoas de bem acabam induzidas ao excesso, justamente por desacreditarem num sistema que pressupõe a ordem e o progresso, a liberdade e a democracia, mas na verdade não tem qualquer legitimidade.

A desordem vem exatamente de onde não há progresso, e portanto, não há um só foco nas manifestações, porque há muito onde melhorar, há muito onde progredir. O brasileiro está no limite da sua tolerância, e quer reformas sociais, tarifarias, ambientais, jurídicas, mas principalmente políticas, porque dali vem as mudanças de todo o resto.

Sou um cidadão de bem, e também cheguei no meu limite. Não participei de manifestações, mas também carrego comigo a insatisfação deste sistema que nos domina. 

Chega um ponto, que você percebe que há limites para todos, mas há mais limites ainda, para as pessoas de bem. Para qualquer indivíduo mal intencionado ou pessoa de bem, não há qualquer distinção, dizem que a lei é igual para todos, mas é mais igual para alguns.

Pais livre e democrático, assim o fazem pensar. Mas na verdade, é livre pela impunidade, não pela liberdade. Democrático, mas o horário político e o seu voto são obrigatórios. Falta democracia, quando é para decidir se queremos tantos milhões gastos com campanhas políticas e gastos com privilégios para alguns. É uma democracia sem legitimidade.

Os protestos, refletem o paradigma do ambiente que se formou por conta de uma série de desordens que há neste país. Por conta disso, o progresso está comprometido, a liberdade está ameaçada, e a democracia equivocada.


Nas pequenas cidades, como a nossa, não percebemos a longitude de tudo isso, e ainda há ordem porque há um domínio das pessoas de bem, há trabalho, harmonia na convivência, e oportunidades de crescimento para todos. Aqui ainda há uma autoridade policial e uma justiça, que nos limites da lei, e nos limites das suas condições de trabalho, ainda se impõem, melhorando a segurança e a qualidade de vida de nossa comunidade. Mas nem por isso, deixamos de sentir as adversidades deste país.


Neste cenário de menor escala, também convivemos com delinquentes, pessoas de má índole, desonestos, manipuladores que tem na sua ocupação, tempo para pensar como vão te extorquir, e como devem se defender de tudo o que pesam sobre eles.

Você trabalha dobrado, se esforça, constrói, e quando menos espera, é vítima de um deles. E por conta deste ambiente que te massacra todos os dias nos noticiários, todas as suas frustrações ganham amplitude, e você defendendo seus princípios, quer resolver as coisas do seu jeito... E acaba perdendo a razão, os seus direitos, a sua dignidade.

Eles podem tomar o que é seu, mas você não pode retomar o que julga ser seu deliberadamente! É assim... Eles dominam este país, e estão fazendo escola.    

Por conta disso, toda a sua revolta se manifesta e o induz á alguns excessos que podem mudar a sua vida. Os valores se invertem, e você regride ao nível destes delinquentes.

É ainda mais sofrido e revoltante para uma pessoa de bem, um pai de família, estar nivelada á estas pessoas. Portanto, este é o sistema que hoje nos massacra. A lei impõe a sua ordem, a justiça solta por que não há progresso nos seus artigos, o delinquente segue confundindo impunidade com liberdade, e a democracia deste país, nos faz engolir que tudo isso é natural.


Por isso... A revolta destes manifestantes, que querem mudanças profundas!

Apesar de tudo isso, ainda acredito neste país!


Mais opiniões
As mais lidas

Prefeitura Sinop - Desenvolvimento Econômico

Prefeitura de Sinop

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player