Seja bem vindo ao Celeiro do Norte, Sinop/MT, 12/12/2017
2014-07-30 de 12 de
Brasil precisa de uma educação de qualidade

A grande maioria do povo brasileiro reconhece que nosso país precisa urgentemente construir um projeto político-educacional que resulta numa educação de qualidade. Esse pensamento está diariamente presente nos movimentos sociais, nas lutas sindicais e, sobretudo, em grande parte dos Profissionais em Educação comprometidos com a formação holística de nossos educandos. De fato, há milhares de profissionais comprometidos com a educação e também há um consenso que está presente desde o mais humilde até a maior autoridade deste país: Nossa educação precisa melhorar em muitos aspectos.


Nossas escolas públicas, em sua grande maioria, desde aquela que atende os anos iniciais até os anos finais, não conseguem oferecer uma educação que permita a criança, jovens e adulto desenvolverem suas capacidades e potencialidades, apesar de haver instituições de ensino em nosso país que realmente fazem a diferença e desenvolvem um trabalho que serve como referencia no campo educacional.


Nossos pais recordam e afirmam com veemência e com certa razão que sentem saudades no tempo que estudavam, pois segundo eles a escola era de ótima qualidade, porém se esquecem que naquela época a escola pública era para poucos. Em pleno século XXI, todos queremos que nossas crianças, nossos jovens e adultos tenham acesso a creches e escola, mas só garantir o acesso não basta, lutamos para que estas instituições de ensino ofereçam realmente uma educação de qualidade. Neste sentido, este breve artigo acena para esse dever e, sobretudo para esses direitos básicos previstos pala Constituição Federal e nas Convenções e Tratados Internacionais.


Entendemos que só o investimento financeiro não basta para melhorar a qualidade da educação nas instituições de ensino em nosso país. Acreditamos que somado a aplicação de recursos, os conselhos deverão mensalmente estudar os relatórios com objetivo de acompanhar as ações dos gestores públicos desenvolvendo um rígido controle na aplicação dos recursos. Sabemos que nos últimos anos nosso país conquistou avanços importantes no que se refere à Legislação Educacional, diga-se de passagem, que estas conquistas foram o resultado da luta dos Profissionais em Educação e de alguns sindicados os ditos combativos e de Movimentos Sociais que atuaram de forma decisiva na consolidação dessas conquistas.


Por fim, todos sabem que os recursos gastos atualmente com educação e em outras políticas públicas não são expressivos e não são suficientes para que a Legislação Educacional seja realmente cumprida. Ao definir orçamento para a educação, grandes partes dos gestores partem apenas do dinheiro disponível depois de já terem investido em outras áreas e depois de já terem pagado as dívidas e juros altos. Na questão educacional deveria ser ao contrário, primeiro deveriam verificar quantas crianças, adolescentes, jovens e adultos estão matriculados, quantos ainda estão sem estudar e quanto será necessário investir para oferecer realmente uma educação de qualidade para todos e todas.


No próximo artigo, veremos quanto custa para cada brasileiro o direito à educação de qualidade.


*Odanir Pedro Bonissoni é filósofo, teólogo e historiador


 

Mais opiniões

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player